Significado de Direitos Especiais de Saque

Compartilhar o significado de Direitos Especiais de Saque no Facebook

Direitos Especiais de Saque (DES) são um tipo de reserva ou moeda internacional criada em 1967, na Conferência do Fundo Monetário Internacional realizada no Rio de Janeiro, para substituir o ouro como o principal meio de liquidação de transações financeiras internacionais, e por essa razão também denominado "ouro-papel". Cada país pode saldar os déficits de seu balanço de pagamentos com DES, ouro ou com moedas fortes.

Os DES foram criados para aliviar as tensões criadas pela escassez de ouro e de outros tipos de reserva em face de um comércio internacional em expansão. A oferta de ouro estava crescendo num ritmo pequeno (menos de 2% ao ano) e os sucessivos déficits externos dos Estados Unidos e da Inglaterra enfraqueceram o dólar e a libra esterlina a tal ponto que os demais países foram perdendo a confiança nestas moedas.

Até 1971, o governo americano conseguiu manter a paridade do dólar em 35 dólares por onça troy de ouro, mas suas reservas caíram tanto que esta paridade foi suspensa naquele ano, e dali em diante adotou-se o sistema de taxas de câmbio flutuantes (crawling peg).

Dentro de certos limites, cada país poderia trocar sua própria moeda no FMI por DES, o que tornava o DES a reserva para ser utilizada em caso de déficit no respectivo balanço de pagamentos. Os DES são utilizados apenas para acertos entre os bancos centrais de cada país e o FMI, e não têm uma existência tangível, isto é, não existem notas nem moedas de DES, nem um símbolo para designá-los.

Até meados de 1974, os DES eram avaliados em termos do ouro e do dólar. Mas, uma vez que esse sistema dava lugar a flutuações acentuadas em função do enfraquecimento da moeda norte-americana, os países líderes do comércio internacional pressionaram para que se fixasse o valor dos DES numa cesta de moedas. Esta cesta é formada por moedas de dezesseis países da Europa Ocidental, dos Estados Unidos, do Canadá, do Japão e da África do Sul.

O resultado é que os DES tornaram-se mais estáveis do que cada moeda individual, e o seu uso se expandiu.

Em suma, os Direitos Especiais de Saque (DES) desempenham um papel importante no cenário financeiro internacional, servindo como uma reserva para os países em caso de déficits em seus balanços de pagamentos. Sua criação e evolução ao longo do tempo refletem as necessidades e desafios enfrentados pelas economias globais, contribuindo para a estabilidade das transações financeiras internacionais.

Voltar para ajuda

Termos Relacionados a sua Pesquisa: