Como calcular o imposto de renda dos seus investimentos

Publicado por Ricardo B.
Compartilhar o artigo Como calcular o imposto de renda dos seus investimentos no Facebook

Quando falamos em investir dinheiro, qualquer migalha faz a diferença no balanço final. De nada adianta obter bons lucros, em qualquer que seja a modalidade escolhida, mas ter que arcar com altos custos de operação ou ver o leão comer todo o lucro.

Cálculo do IR sobre o lucro

Algumas opções, oferecem isenção do imposto de renda, como é o caso da Poupança, LCI, LCA ou o limite de vendas de até 20 mil em ações no mercado comum, por exemplo. Já outras, exigem que seja aplicado alíquotas que variam entre 15% e 22,5% sobre o lucro.

Para gerar o imposto é bem simples. Basta que você aplique a alíquota, sobre o lucro. Então, se lucrou R$ 1000,00 na aplicação e a alíquota é 15%, pagará R$ 150,00 de imposto, veja:

  1. IR = (alíquota / 100) * lucro
  2. IR = (15 / 100) * 1000
  3. IR = 0,15 * 1000
  4. IR = R$ 150,00

Como descontar taxas e prejuízos

Obviamente, esse cálculo foi feito de forma didática para que aprenda a aplicar a alíquota em seus rendimentos. Porém, se foram cobradas taxas de custódia ou administração, elas podem - e devem - ser descontadas do rendimento bruto, antes de realizar esse cálculo.

Além disso, você pode descontar também, eventuais prejuízos que tenha tido e, dependendo do caso, até mesmo nem pagar por impostos na ocasião. Algo muito comum de acontecer na renda variável.

Digamos que em algum momento, de venda em venda, você acumule prejuízos em torno de R$ 5.000,00, por exemplo. Através dessa regra de desconto que citei,  é possível minimizar esses prejuízos e obter um bom desconto na hora de calcular o imposto de renda.

Na prática, para que você entenda, suponha que o total das suas vendas, já com as taxas descontadas, tenha sido R$ 57.250,00 e, esse valor, corresponde a um total alienado de R$ 44.500,00. O cálculo do IR já com o desconto do prejuízo, seria da seguinte forma:

  1. IR = ((valor de venda - taxas) - (valor de compra - taxas)) - prejuízo) x (15 / 100)
  2. IR = ((57.250,00 - 44.500,00) - 5.000,00) x 0,15
  3. IR = (12.750,00 - 5.000,00) x 0,15
  4. IR = 7.750,00 x 0,15
  5. IR = R$ 1.162,50

Veja que ao invés de aplicar a alíquota de 15% sobre o lucro de R$ 12.750,00 da operação, o que resultaria em uma DARF de R$ 1.912,50 para pagamento do imposto de renda, apliquei ela sobre o lucro menos o prejuízo, o que resultou em R$ 1.162,50. Um bom desconto, concorda?

E não pensa que parou por aí. É possível subtrair também, o imposto de 0,005%, aquele que fica retido na fonte quando se realiza vendas comuns de ações. Portanto, veja a fórmula que utilizei para continuar esse cálculo:

  1. IR = 1.162,50 - ((valor de venda - taxas) x (0,005 / 100))
  2. IR = 1.162,50 - (57.250,00 x 0,00005)
  3. IR = 1.162,50 - 2,8625
  4. IR = R$ 1159,63

É isso! O próximo passo é gerar uma DARF  no valor de R$ R$ 1.159,63, com o código 6015 e vencimento para o último dia útil, do mês subsequente à venda.

Não se assuste...

Se essa conta maluca te assustou, não fique preocupado. Embora eu considere que seja importante você se aprofundar nessas questões, o controle de carteiras de investimento do controlAção! possui uma excelente ferramenta que eu mesmo criei e que lhe ajudará nesse cálculo, para vendas de ações no mercado comum ou day trade. No mais, muitas corretoras de valores, também já oferecem ferramentas para auxiliar nessa operação.

Rentabilidade real do investimento

Agora, aproveitando o gancho e voltando os seus olhos um pouco mais para a rentabilidade real do investimento, assim como fizemos com a inflação no artigo “Inflação e a rentabilidade real do investimento”, você também precisará aplicar o imposto de renda, no cálculo do RRI.

O ideal é incrementar aquela fórmula, para que ela leve em consideração, além da inflação, também a alíquota do imposto de renda. Veja:

  • RRI = (((1 + ((rent. bruta / 100) x (1 - (alíquota / 100)))) / (1 + (inflação / 100))) - 1) x 100

Caso você encontre um investimento que garanta uma rentabilidade bruta de 12% ao ano, com o IPCA em 4,05% e a alíquota de 15%, por exemplo, a rentabilidade real do investimento, deverá ser calculada da seguinte forma:

  1. RRI = (((1 + ((12 / 100) x (1 - (15/100)))) / (1 + (4,05 / 100))) - 1) x 100
  2. RRI = (((1 + (0,12 x (1 - 0,15))) / (1 + 0,0405)) - 1) x 100
  3. RRI = (((1 + (0,12 x 0,85)) / 1,0405) - 1) x 100
  4. RRI = (((1 + 0,102) / 1,0405) - 1) * 100
  5. RRI = ((1,102 / 1,0405) - 1) x 100
  6. RRI = (1,0591 - 1) x 100
  7. RRI = 0,0591 x 100
  8. RRI = 5,91%

Ao concluir o cálculo, note que o investimento que, inicialmente oferecia 12% de rentabilidade por ano, com a projeção final, ficou com uma rentabilidade real de 5,91%.

Bom, é isso! Espero que tenha gostado do artigo. Espero seus comentários aqui embaixo!

Controle a sua carteira de ações

Cadastre-se GRÁTIS, sem compromisso e teste por até 7 dias!

Trimestral
10% de desconto
de R$ 29,70 por
R$ 26,70
Semestral
20% de desconto
de R$ 59,40 por
R$ 47,40
Anual
30% de desconto
de R$ 118,80 por
R$ 82,80
Bienal
40% de desconto
de R$ 237,60 por
R$ 141,60
Cadastre-se sem compromisso!