Inflação e a rentabilidade real do investimento

Publicado por Ricardo B.
Compartilhar o artigo Inflação e a rentabilidade real do investimento no Facebook

Quando você ouve falar de inflação, é provável que nem se dê conta do quão importante é esse fator, tanto na economia quanto no seu bolso. Mas acredite, os impactos de uma inflação elevada pode ter um efeito ilusório, trazendo consequências graves para a sua qualidade de vida e o retorno dos seus investimentos, sem que ao menos você se dê conta.

Qual o impacto da inflação no seu bolso?

Em termos práticos, a alta da inflação diminui o seu poder de compra, fazendo com que, uma certa quantia de dinheiro que você possui hoje, não seja suficiente para comprar o mesmo produto, daqui um determinado tempo.

O mesmo efeito, acontece também em seus investimentos, o que torna necessário, calcular a rentabilidade real do investimento, com o objetivo de ajudá-lo a enxergar por um outro ângulo esse cenário. Mas antes de partir logo para a conta, você precisa conhecer mais sobre o IPCA, para entender melhor o conceito que vou explicar adiante.

O que é IPCA?

Para que seja possível mensurar os efeitos da inflação e “materializar” isso em números, foi criado um índice cujo reajuste, é feito mensalmente pelo IBGE. Esse índice, conhecido como IPCA - Índice de Preços para o Consumidor Amplo, leva em consideração o valor pago pela população por uma variedade de produtos das mais diversas categorias, do primeiro ao último dia do mês, em todo o país.

Como o IPCA é calculado mensalmente, é natural que você encontre o percentual mensal, o acumulado do ano e o acumulado dos últimos 12 meses, como referência ao índice. O mais indicado no entanto, é para que utilize o acumulado dos últimos 12 meses como base para o cálculo da rentabilidade real do investimento.

E para calcular a rentabilidade real do seu investimento, você precisa descontar esse acumulado dos últimos 12 meses. Não tem jeito! Somente assim, conseguirá enxergar se houve de fato um lucro e decidir se mantém a posição ou, se procura por opções mais rentáveis para aplicar o seu dinheiro.

Quando escrevi esse artigo por exemplo, o IPCA acumulado nos últimos 12 meses, era 4,05%.

A poupança como exemplo

Um excelente exemplo que podemos utilizar para ilustrar a importância da rentabilidade real, é o da poupança. Para que você tenha uma ideia, quando escrevi esse artigo, a taxa Selic que, em conjunto com a TR compõem a fórmula da mesma, estava em 6,5% e a TR, em zero. Portanto, para chegar na rentabilidade da poupança antes da inflação, se faz necessário aplicar a fórmula abaixo:

  1. Poupança = ((70 / 100) * Selic) + TR
  2. Poupança = ((70 / 100) * 6,5) + 0
  3. Poupança = (0,70 * 6,5) + 0
  4. Poupança = 4,55 + 0
  5. Poupança = 4,55%

Calculando a rentabilidade real do seu investimento

Como visto acima, o retorno da poupança, está em torno de 4,55% ao ano. Agora, se descontarmos o IPCA acumulado dos últimos 12 meses que está em 4,05%, a rentabilidade real da poupança será 0,48%.

E para que você consiga calcular a rentabilidade real do investimento, o RRI, basta aplicar a fórmula a seguir:

  • RRI = (((1 + (Rentabilidade / 100)) / (1 + (Inflação / 100))) - 1) x 100

Vou usar novamente os dados de exemplo da poupança. Portanto, a nossa continha ficará da seguinte forma:

  1. RRI = (((1 + (4,55 / 100)) / (1 + (4,05 / 100))) - 1) x 100
  2. RRI = (((1 + 0,0455) / (1 + 0,0405)) - 1) x 100
  3. RRI = ((1,0455 / 1,0405) - 1) x 100
  4. RRI = (1,0048 - 1) x 100
  5. RRI = 0,0048 x 100
  6. RRI = 0,48%

O que tudo isso significa?

Para qualquer investimento que fizer, é sempre importante calcular a rentabilidade real. Veja que ao aplicar seu dinheiro na poupança, o rendimento praticamente "empata", quando é levado em consideração a inflação. Portanto, para conseguir lucros reais, você deve sempre levar em consideração esse fator.

Um outro desconto importante que você deve considerar, é o imposto de renda. Porém, falarei a respeito em uma outra oportunidade! Fique sempre atento as novidades do nosso blog.