Controle de Investimentos

Publicado por Ricardo B.
Compartilhar o artigo Controle de Investimentos no Facebook

Se você começou a investir recentemente, talvez ainda não tenha tido a necessidade de registrar todos os seus lançamentos, um a um, para acompanhar evolução, preço médio, relatórios, enfim. Mas acredite, aos poucos aquela sensação de falta de controle, começará a bater na sua porta. Isso não é praga minha, é apenas uma constatação de quem analisa o mercado financeiro há alguns anos.

Controlar investimentos, seja através de uma planilha no excel, bloco de notas ou até mesmo em um caderno, se torna útil e necessário, na medida que você diversificar a sua carteira, quiser mensurar resultados ou traçar novas estratégias.

O que é um controle de investimentos?

Podemos definir um controle de investimentos como um conceito organizacional, em que o registro de todos os movimentos no mercado financeiro, permitem criar um cenário para que se visualize claramente, o que tem retornado lucro, se mantém estável ou traz prejuízo, com o objetivo de tomar uma decisão.

Digamos que você comprou 100 ações de PETR4 pelo valor de R$ 20,00. Somadas as taxas, a ordem total foi R$ 2.025,50. No mês seguinte, a cotação teve uma alta substancial, chegando a incríveis R$ 25,00. Então, para realizar o seu lucro, você resolve vender todas as suas ações, pelo valor atual da cotação e com as mesmas taxas. Quando você recebe o valor da venda, toma um susto, pois ao invés de ter lucrado R$ 500,00 com a operação, teve um crescimento no patrimônio de apenas R$ 449,00. Aonde foram parar os outros R$ 51,00?

Parece pouco, mas você consegue imaginar esse mesmo cenário com 10 ou mais ordens em um mês? Sem o controle de investimentos, certamente você não teria condições e, caso tivesse, levaria um bom tempo para enxergar em qual ponto o seu dinheiro escoou pelos dedos ou, qual ponto merece uma certa atenção, seja pelo lado positivo ou negativo das negociações.

Ou seja, pelo simples fato de ter um investimento e saber a quantia que possui em custódia, que é a facilidade oferecida gratuitamente pela maioria das corretoras de valores, não será suficiente para que você dimensione o desempenho real dos investimentos.

Como funciona o controle de investimentos?

O funcionamento de um controle, depende muito da maneira e objetivo para o qual ele foi criado. Basicamente, exige-se que tudo seja levado em consideração, desde o depósito do montante a ser investido na conta margem da corretora de valores, até o lançamento de ordens de compra ou venda, com o devido cálculo de taxas e impostos.

Independente da maneira como criar, comprar um software com esse objetivo ou pagar por licença de uso de plataformas online, é importante que esteja atento aos fatores a seguir:

  • Resumo: todo controle de investimentos precisa oferecer um resumo de tudo o que possui em custódia. Algo como uma visão geral, para que consiga rapidamente, identificar os pontos que estejam destoando para mais ou menos em sua carteira;
  • Conta margem: vejo muitas plataformas que têm surgido recentemente não oferecendo a opção de uma conta de depósito. Mensurar não apenas a custódia, mas o crescimento de patrimônio como um todo, é algo fundamental e prove ao investidor, um meio de identificar o impacto que a cobrança de outras taxas, como um DOC ou TED por exemplo, tem nesse patrimônio;
  • Preço médio: como você pôde ver no exemplo acima, calcular o preço médio é muito importante. Não apenas para que se tenha noção do valor real pago por ação, mas também para outros fatores, como para base de cálculo de alienações, utilizado no imposto de renda;
  • Volume: oferecer ao investidor a possibilidade de enxergar o volume de compra e o volume atualizado, para que se compreenda o que aquele montante inicial representava na carteira em um primeiro momento e o que representa agora;
  • Ordens: um ambiente fácil para a localização e inclusão de novos papéis, para que o investidor consiga a flexibilidade e conforto necessário para lançar ou até mesmo simular operações;
  • Relatórios: talvez seja a mais importante funcionalidade que você deve criar ou procurar, em um controle de investimentos. Serão os relatórios que mostrarão, seja através de tabelas ou gráficos, a evolução dos seus investimentos, se eles estão com lucro ou prejuízo, enfim;
  • Imposto de renda: obviamente, esse é um recurso “bônus”. Embora gerar imposto de renda esteja previsto em lei, sobre diversas penalidades, encontrar informações ou ferramentas com esse objetivo e, principalmente, que levam em consideração todas as normativas que a receita federal exige, é bem difícil. A grande maioria dos investidores, optam em fazer o imposto por conta própria ou com o auxílio de profissionais.

Quais os meios utilizados para o controle de investimentos?

Já falei sobre o que é, como funciona e quais os recursos que você deve criar ou procurar, para que consiga controlar efetivamente os seus investimentos. Agora, chegou a hora de conhecer os meios que você pode utilizar.

Planilha do Excel

Mesmo diante de tanta evolução no meio da tecnologia, a planilha do excel ainda é a ferramenta mais utilizada para o controle de investimentos. Sim, isso mesmo. E não pense que ela é ineficiente como dizem por aí! Muito pelo contrário, trata-se de uma ferramenta poderosíssima que, inclusive, pode oferecer a possibilidade de automatizar cotações em tempo real, usando um link conhecido como RTD.

Esse link oferece os recursos para que, através da função RTD do excel, seja possível criar a comunicação necessária entre o fornecedor do sinal e a planilha, com o objetivo de manter as cotações atualizadas, de acordo com o delay.

Com uma rápida Googlada, você conseguirá encontrar excelentes planilhas, pagas ou gratuitas e que oferecem a atualização automática. Basta procurar, testar e se atentar aos requisitos que eu mencionei.

Bom e velho caderno

Juro que pensei muito antes de colocar esse subtópico aqui, porém, acredite: há quem goste de escrever para interagir com o conteúdo. Sim, é difícil, trabalhoso, chato e por vezes, a letra é horrível até para quem escreve. Porém, não é que o método funciona mesmo?

O fato é que registrar entrada e saída de dinheiro, não é novidade nenhuma. Trata-se de uma técnica utilizada a séculos. No entanto, muitas pessoas são céticas em relação a isso, devido as facilidades que a evolução tecnologica proporcionou e, continua proporcionando, nesses últimos anos.

O conceito é bem simples. Basta que se registre todas as ordens separadamente, uma a uma e mantenha o saldo individual e total sempre atualizado. No final do mês ou início do mês subsequente, crie um resumo com o desempenho, detalhes de lucro ou prejuízo e, caso tenha talento, utilize uma régua para criar gráficos. Isso, por si só, já ajudará não apenas o controle, mas também a aprimorar o seu conhecimento sobre o mercado financeiro.

Apps

É difícil imaginar quem não possui um celular no bolso hoje em dia. E com essa facilidade na palma da mão, obter Apps que controlem seus investimentos, é uma ótima alternativa. Existem diversos aplicativos que podem agradar os mais variados gêneros e gostos dos investidores.

Talvez, usar Apps ainda não seja tão popular devido ao alto consumo de dados que o recurso gasta, porém, acredito que seja uma tendência para o futuro, principalmente com a popularização de novas tecnologias de conexão.

Softwares

Mesmo os Smartphones sendo tão populares, certamente você tem acesso ou possui um computador desktop. Os softwares são excelentes alternativas para aqueles que gostam de certa peculiaridade e prezam pelo desempenho.

Confesso que pesquisei a respeito e encontrei poucas opções no mercado nacional. Porém, identifiquei dezenas de boas opções internacionais que atendem o investidor em âmbito global. Se você possui um orçamento considerável para investir em ferramentas, procure por softwares que auxiliam na tomada de decisões. Vale muito a pena!

Plataformas Online

Deixei por último o meio de controle que acredito ser o mais eficaz. São as plataformas online que podem facilitar consideravelmente a sua vida como investidor, pois, além de armazenar todas as informações na nuvem, oferecem também muita flexibilidade no que diz respeito ao lançamento de novas funcionalidades e podem ser acessadas de qualquer lugar, sendo necessário apenas um navegador.

Nesse ponto, vale a pena uma observação importante, a necessidade de escolher uma plataforma que, além de oferecer todos os recursos que mencionei antes, proporcione um ambiente seguro para que não ofereça riscos ao vazamento de dados dos investidores.

Quando lancei o controlAção! lá em meados de 2012, não existia nenhuma outra plataforma online. Esse cenário foi mudando ao longo dos anos e já é possível encontrar algumas dezenas de opções. Confesso que não encontrei nenhuma que ofereça a mesma facilidade e recursos do controlAção!, porém, como sempre digo aos meus amigos e reproduzo aqui para você, não existe melhor ou pior, mas sim, aquilo que se encaixa perfeitamente dentro das suas necessidades.

Considerações finais

Controlar o investimento não pode ser considerado banal. Como você pôde observar neste artigo, manter uma visão geral e detalhada de todos os ativos que possui em custódio, sejam eles de renda fixa ou variável, se faz necessário e deve ser tratado como algo fundamental para o seu sucesso.

Aproveite os 7 dias grátis e sem compromisso que ofereço para novos usuários no controlAção!, faça simulações e considere ter essa facilidade durante todo o seu percurso no mercado financeiro.

Boa sorte!

Controle a sua carteira de ações

Cadastre-se GRÁTIS, sem compromisso e teste por até 7 dias!

Trimestral
10% de desconto
de R$ 29,70 por
R$ 26,70
Semestral
20% de desconto
de R$ 59,40 por
R$ 47,40
Anual
30% de desconto
de R$ 118,80 por
R$ 82,80
Bienal
40% de desconto
de R$ 237,60 por
R$ 141,60
Cadastre-se sem compromisso!

Ajuda Financeira de A à Z