O que você precisa saber antes de começar a investir

Publicado por Ricardo B.
Compartilhar o artigo O que você precisa saber antes de começar a investir no Facebook

O mercado financeiro é perigoso e não provê atalhos para você ganhar dinheiro fácil. Esqueça isso! Se alguém lhe prometeu algo do tipo, é provável que seja uma pegadinha.

Além disso, quando as negociações envolvem, principalmente a compra e venda de ativos de renda variável, existe uma movimentação que muitas vezes, está bem além do seu conhecimento ou compreensão.

Fuja de sugestões de compra

Jamais siga recomendações de investimento de ninguém, mesmo que ela seja oferecida por grandes players. Quando o assunto é ganhar dinheiro, uma grande artimanha é forjada para seduzir o investidor a comprar impulsivamente, como se fosse um jogo, em que para um ganhar, muitos outros devem perder.

Invista apenas quando tiver convicção de que está fazendo uma boa escolha e que ela esteja dentro de suas estratégias. E como saber isso? Procure informações sobre o investimentos e estude muito a respeito. Acredite, o mercado pune a falta de conhecimento!

Não espere por lucro fácil ou receitas milagrosas

Por fim, não espere uma receita para obter altíssimos lucros no curto prazo. Se foi isso que lhe trouxe aqui ou em qualquer outro blog de economia, sugiro que faça a mesma reciclagem que fiz em meus pensamentos há alguns anos.

Com muita sorte (mas muita mesmo), você poderá obter bons resultados em pouco tempo, apostando na mega-sena. Não aqui! Portanto, daqui em diante, esteja ciente que ensinarei para você tudo o que sei sobre o mercado financeiro, os meios para que inicie com seus investimentos, gerencie sua carteira e evite ao máximo acumular prejuízos.

Faça um bom planejamento

Antes de mais nada, a primeira tarefa que imponho à você é, planejar-se. E, quando me refiro a planejamento, vou bem mais além do que simplesmente ter um objetivo. É preciso entender que para investir, você precisará de dinheiro. Portanto, sem ter uma quantia, por menor que ela seja, sobrando, não há como dar o pontapé inicial.

Faça um plano para que o seu dinheiro sobre, gastando até o final do mês, menos do que ganhou (óbvio). Na teoria, essa é uma matemática bem simples, porém na prática, dependendo do seu foco, pode ser mais complicado do que parece.

A minha dica para você é: anote em um papel, bloco de notas ou crie uma planilha no Excel, todos os seus gasto bem detalhados, desde os mais altos, até os mais baixos, que geralmente são ignorados no orçamento pessoal.

Detalhe exatamente tudo o que você recebe e gasta no mês

O grande problema dos desorganizados, financeiramente falando, não está no pagamento de contas mais altas como plano de saúde, seguro de carro, luz, água, mas sim nas migalhas, como aquele cafezinho diário, a cervejinha do final do dia ou o impulso pelo consumo desnecessário. Portanto, anotando tudo isso, você será capaz de enxergar em qual ponto o seu dinheiro está escapando e trabalhar para controlar esses gastos.

Calma lá, não estou dizendo para você cortar definitivamente o seu café ou a cerveja, tudo bem? A ideia aqui é se planejar, para que no final do mês, você não tenha desequilibrado as suas contas e consiga ter um dinheirinho sobrando.

Por exemplo, se o cafezinho lhe custa R$ 5,00 por dia, ao final de 30 dias, você terá gasto R$ 150,00. Se aplicar esse valor em um título do tesouro direto - https://simulador.tesourodireto.com.br - com vencimento para 2024, resgatará no vencimento, o equivalente a R$ 13.530,50.

Na minha simulação, foram aproximadamente 70 aportes de R$ 150,00, que somados, totalizaram R$ 10.500,00. Ou seja, a aplicação rendeu R$ 3.030,50 em juros compostos - que explicarei no próximo tópico.

Consegue enxergar o potencial que essas migalhas têm, no seu orçamento? Então, que tal comprar uma garrafa térmica e levar o café de casa? Faz sentido, não é mesmo?

Controle suas dívidas

O próximo passo do seu planejamento são as dívidas. Antes de mais nada, procure eliminá-las do seu cotidiano. Caso tenha alguma, o seu primeiro objetivo deve ser quitá-las. Principalmente se forem dívidas com o rotativo do cartão de crédito, empréstimos ou financiamentos.

Essas modalidades que citei, trabalham no sentido contrário do que estamos buscando aqui. Quando você recorre a elas, o banco empresta o dinheiro e, em contrapartida, cobra taxas de juros absurdas e muitas vezes abusivas por isso. Ou seja, no final das contas, terá pago muito mais do que precisou e gastará uma quantia que poderia render juros a seu favor, não contra você.

Nesse ponto, certamente surgiu na sua cabeça aquela frase: “mas se não for assim, aqui no Brasil não compro nada…”.

Não é bem assim! Essa é uma ideia que fizeram você acreditar lá atrás e que, passou a fazer parte da cultura dos brasileiros. Portanto, trabalhe muito bem o seu imediatismo e o impulso por compras desnecessárias. Comece a pensar se realmente precisa consumir isso ou aquilo hoje ou, se pode esperar juntar dinheiro para esse objetivo.

Pense bem, será que você precisa realmente pagar 60 prestações de R$ 800,00 para comprar um carro avaliado em R$ 35.000,00? Além de ter gasto R$ 48.000,00 por ele, se aplicar na mesma situação do cafézinho, terá acumulado em 2024, a quantia equivalente a R$ 72.162,68, ou seja, mais do que o dobro do valor do veículo.

Crie uma reserva financeira

E para finalizar o seu planejamento, é fundamental criar uma reserva financeira. Dessa forma, você conseguirá proteger o seu investimento de eventuais emergências ou imprevistos.

O ideal é que essa reserva financeira acumule uma quantia entre 3 e 6 meses, equivalente ao seu custo mensal. Por exemplo, se todos os gastos da planilha que criou, totalizam R$ 2.500,00 no mês, será necessário guardar algo entre R$ 7.500,00 e R$ 15.000,00.

Se precisar recorrer a reserva financeira, é importante que no mês, ou meses seguintes, a quantia estipulada por você, seja imediatamente reposta, certo?

A escolha o local em que guardará a sua reserva financeira, deve ser de fácil acesso, para que você não demora muito tempo para resgatar o montante, caso tenha necessidade. Existem investimentos que o resgate gira em torno de D+1 (dia mais um), D+2 (dia mais dois), D+3 (dia mais três) e assim por diante. Isso significa que ao solicitar o resgate, o dinheiro será pago a você em dois, três ou quatro dias úteis. Portanto, pense em uma modalidade em que o dinheiro esteja disponível no mesmo dia, como uma poupança vinculada a conta corrente, por exemplo.

Invista apenas o que não lhe fará falta

E por fim, reserve para os seus investimentos apenas a quantia que não lhe fará falta no médio e longo prazo. E quando digo isso, é o que realmente não fará falta, ok? Faz sentido repetir isso? Sim! Explico-me: as pessoas se empolgam com possibilidades fantasiosas com facilidade, porém, se esquecem de seus compromissos, imprevistos, entre outras coisas. Essa anomalia da genética humana, faz com que o investidor se “sacrifique” para fazer num primeiro momento, aquilo que está além de suas possibilidades reais. Logo, percebe que o valor está lhe fazendo falta! E o que acontece então? Recorre ao investimento, faz o resgate e fica no prejuízo.

Você não quer ser mais um nessa estatística, não é mesmo? Portanto, quebre a sua cabeça e pense muito bem sobre o que será de fato investido, ou o que será destinado para sua reserva, enfim. Pense! Não caia em tentações…

Considerações finais

Há quem acredite que investir é uma arte para poucos. Eu acredito fielmente que investir está ao alcance de todos, desde que estudem e, principalmente, aperfeiçoem a qualidade mais importante que existe e necessária para se dar bem nesse mundo: a disciplina.

Ser disciplinado ao ponto de assegurar o bom funcionamento de algo, pode e deve ser TREINADO. Portanto, estude e procure mudar o seu ponto de vista, mire algo maior; deseje isso, crie ambições e sonhe alto. Tudo é uma questão de escolha!

Gostou do conteúdo? Deixe um comentário...

Controle a sua carteira de ações

Cadastre-se GRÁTIS, sem compromisso e teste por até 7 dias!

Trimestral
10% de desconto
de R$ 29,70 por
R$ 26,70
Semestral
20% de desconto
de R$ 59,40 por
R$ 47,40
Anual
30% de desconto
de R$ 118,80 por
R$ 82,80
Bienal
40% de desconto
de R$ 237,60 por
R$ 141,60
Cadastre-se sem compromisso!