Plano de negócios: A escolha do ramo de atividade para a Internet

Publicado por Ricardo B.
Compartilhar o artigo Plano de negócios: A escolha do ramo de atividade para a Internet no Facebook

Sabe aquele vínculo materno ou paterno? Aquela sensação de responsabilidade e dedicação com algo que nasceu da gente? Pois bem, dependendo do ponto de vista, não é exagero relacionar o ramo de atividade que escolhemos, com o nascimento de um filho.

É óbvio que, dependendo do rumo, podemos trocar a atividade, o que não ocorre, por exemplo, com o filho. Mas, devidas às circunstâncias, a chance de ter de sucesso e principalmente realização dessa sua atividade, é planejando e dedicando-se completamente pelo crescimento próspero e saudável dela.

Portanto, a primeira dica que tenho para você é: deseje algo para valer, algo que o aprendizado seja leve, lhe traga satisfação e que lhe absorva completamente, daí em diante, deixe que as coisas fluam naturalmente.

Todos nascem com um dom e com a aptidão para uma determinada atividade. Algo que diferencia ou credencia e que, por vezes, está mais evidente para outras pessoas notarem em você, do que você mesmo.

Um exemplo disso é ser o tipo de pessoa que fala muito, seja bem articulada, sabe negociar, é detalhista ou caprichosa, que manuseia algo, sabe cozinhar, desenhar, dançar, cantar, enfim. Mesmo que não esteja explícito para você mesmo, existe algo que pode ajudá-lo a alavancar um futuro negócio.

Por natureza, a crítica pessoal muitas vezes é um problema sério e faz com que as pessoas se desiludam ou descartem o seu próprio talento. Ou seja, o que elas fazem, nem sempre parece ser bom o suficiente para elas mesmas.

Você se familiariza com isso? Então, antes de qualquer coisa, para continuar por aqui, é preciso lutar contra seus medos e restrições. A dica aqui é, seja positivo, enxergue as possibilidades que estão além do seu alcance de visão, procurando ser sensível a oportunidades, mesmo que elas sejam mostradas de maneira implícita.

Você não sabe se será um bom escritor, se jamais terminar o texto que começou a escrever, certo?

A partir daqui, vou mostrar os ramos de atividade e oferecer algumas dicas para que encontre o caminho que te levará ao sucesso.

Ramos de atividade

Segundo informações do próprio Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), existem vários ramos de atividade que se dividem entre os setores industrial, comercial e a prestação de serviços.

O Sebrae inclusive, possui diversos recursos que são fundamentais no processo de criação e manutenção de negócios, sejam eles físicos ou criados exclusivamente para a Internet.

E, embora falo sobre Internet, é importante que conheça os setores em que o seu ramo de atividade poderá se encaixar:

Setor Industrial

Nesse setor, se enquadram os ramos de atividade que utilizam um ou mais bens como insumo, para produzir outro bem, que será negociado, a fim de se obter lucro no final do processo.

Engana-se quem pensa que apenas grandes indústrias, com maquinários pesados, se enquadram nesse ramo de atividade. Também se considera como industrial a produção manual de bens, como artesanato, marcenaria, corte e costura, entre outros.

Já pensou em produzir algo do zero? Adiante, falarei sobre alguns itens que podem ser produzidos, se encaixam nesse setor e que talvez, entrem no seu radar de possíveis atividades. 

Setor Comercial

Estão os ramos de atividade que vendem mercadorias para o consumidor final ou para varejistas - que também comercializam para o consumidor final -, como mercados, lojas, enfim.

Considere esse setor como promissor para a sua atividade. Mesmo que produza um bem, certamente o comercializará usando a Internet. Então, as dicas que tenho nesse artigo, certamente lhe ajudarão com isso.

Setor de Prestação de Serviços

Diferentemente dos dois setores anteriores, a prestação de serviços não cria ou vende um bem ou mercadoria, mas utiliza-se da oferta do seu próprio trabalho e esforço, para o consumidor dele, como por exemplo, eletricista, encanador, uma escola ou afins.

Tem um dom ou é especialista em alguma atividade? Ótimo! Ensinarei como inseri-lo na vida virtual das pessoas. Mas caso não tenha um dom e também não seja especialista, não desanime. Leia mais adiante o que tenho a dizer sobre prestação de serviços, como as oportunidades são amplas e abra a mente para o setor que mais cresce na Internet.

Vamos ao que interessa: Internet

Na Internet, o ambiente em que focarei meus esforços para ajudá-lo, existem três meios de se ganhar dinheiro, são:

  • Vendendo algo
  • Vendendo espaço publicitário
  • Prestando serviço

Mas antes...

Não vamos nos antecipar e pular para “como fazer”. Antes de tudo, você precisa conhecer e estudar três importantíssimos fatores:

01. Público alvo

O conhecimento do público alvo é tão ou mais importante do que a escolha do produto. Só não consigo definir em qual etapa da criação do seu negócio, ela se encaixa. Nada lhe impede de definir primeiro o seu público antes de decidir o que será oferecido.

Dependendo do produto ou tipo do seu negócio, será importante definir o sexo, idade, renda, estado civil, quantidade de filhos, região demográfica e mais uma porção de outros itens do possível consumidor de seus produtos.

Digamos que você queira trabalhar com a venda de calçados esportivos, é provável que seu público seja majoritariamente formado por pessoas do sexo masculino, entre 18 e 30 e que estejam solteiros. Porém, isso não significa que mulheres ou idosos de qualquer gênero, em outras faixas de idade e que estejam ou não solteiros, deixarão de comprar um calçado assim. Mas tenha em mente que, separando o público alvo majoritário, você será capaz de explorar de maneira diferente aquele cliente que converterá mais vendas, permitirá investir mais nessa situação do que nas outras e criar estratégias eficientes para um plano de Marketing Digital.

02. Concorrência

Após encontrar o produto ideal e traçar o perfil do seu público alvo, vá em frente e mude o foco do seu estudo para os seus principais concorrentes.

Nessa etapa, procure ser sensível aos detalhes, como são disponibilizadas as descrições, características, fotos, ações promocionais. Leia os termos de compra e depois, entre em contato com o atendimento ou televendas, tire dúvidas sobre a compra, troca, devolução e entrega. Faça observações em um caderno ou arquivo de texto, a fim de compará-las com os demais concorrentes.

Mas lembre-se, estudar seu concorrente não significa copiá-lo, tudo bem? Pense nesse tipo de ação apenas como base de conhecimento para o seu campo de atuação.

03. Demanda

Um dos fatores de maior preponderância quando o assunto é novo negócio, certamente é a alta procura por aquilo que será oferecido. Chamamos esse fator de alta demanda.

Quando o inverso acontece e a oferta é maior do que a procura, ou seja, existem muito mais produtos ou serviços de um determinado nicho sendo oferecidos no mercado, do que pessoas procurando por eles, a tendência é que o preço caia ou o mesmo seja desvalorizado. Não é isso que queremos para o seu negócio, certo?

Oferecer algo que não exista, esteja escasso no mercado ou com um diferencial muito impactante, criará uma alta demanda e poderá beneficiar o seu negócio, ajudando-o a percorrer boa parte do caminho para o sucesso. Então, direcione os seus esforços em estudar os dois itens anteriores, público alvo e concorrência, para então, desenvolver o seu produto ou serviço, para que ele seja, além de tudo, inovador e tenha uma alta demanda no mercado.

Vendendo algo

É bem verdade que atualmente, é possível encontrar de tudo na rede. Porém, como diz aquele velho ditado, “o sol nasce para todos”, para vender na Internet é importante não se intimidar com a concorrência e inovar sempre.

Tenha em mente que essa ainda é uma opção carente de qualidade, principalmente no que diz respeito ao atendimento. Então, mais importante quanto à escolha do que vender, é saber que a escolha dessa atividade, exigirá que você seja atencioso, cuidadoso e cative o cliente em cada detalhe.

Os dois caminhos possíveis para vender algo na Internet são, criar o próprio produto de forma artesanal ou buscar pelo fornecimento de produtos, com a intenção de revendê-los.

Fabricação artesanal

Para criar o próprio produto artesanal, você terá que ter paixão, habilidades específicas ou aptidão para criá-lo e demanda.  Em alguns casos, comprar as ferramentas certas, aviamentos ou até mesmo pequenas máquinas para auxiliá-lo no processo. A ideia, não é ensinar como fazer isso, tudo bem? Mas te dar noção das possibilidades e ajudá-lo, direcionando-o para o caminho certo.

Veja uma lista de atividades artesanais que possibilitam a criação de excelentes produtos e que, em alguns marketplaces - comércio eletrônico de grande popularidade para venda de produtos ou serviços em geral  -, estão muito em alta:

  • Cartonagem: criação de produtos utilizando o papelão, papel ou tecido como matéria-prima. As possibilidades são infinitas e vão desde a confecção de uma simples caixa, até estojos de maquiagem, mini gaveteiros, porta-joias, entre outros.
  • Caixas personalizadas: montagem de caixas de acordo com a necessidade do cliente, podendo utilizar como matéria-prima o papelão ou até mesmo MDF e confeccionando o berço - como é conhecida a parte interna da caixa onde o produto do cliente será encaixado - com papelão ou espuma.
  • Trabalho com feltro: utilizando-se do feltro como matéria-prima principal, você poderá confeccionar enfeites, utensílios domésticos e decorativos ou criar bonecos e personagens. Existem diversos moldes já prontos disponíveis na Internet, para que você tenha a inspiração necessária para o trabalho.
  • Bijuterias: utilizando de muita criatividade e bom gosto, você pode confeccionar brincos, colares, anéis e as mais diversas bijuterias.
  • Artesanato em madeira: com madeira MDF como matéria-prima, crie quadros decorativos, porta temperos, porta chaves ou caixas personalizadas com tampa em desenhos com alto relevo.
  • Encadernação: faça encadernações temáticas em materiais escolares, como cadernos, livros e fichários. 
  • Saboaria artesanal: crie sabonetes decorativos ou temáticos, ofereça-os como lembranças para chá de bebês, casamentos ou festas.
  • Reciclagem: a reciclagem artesanal é muito bem aceita e oferece excelentes oportunidades. Usando a imaginação, você pode criar carteiras, bolsas, enfeites, potes decorativos e os mais diversos produtos, utilizando como matéria-prima, caixas de leite, garrafas pet, embalagens, entre outros.
  • Bonecas de pano: confeccione bonecas de pano, utilizando como matéria-prima o tecido e lã penteada ou lavada. Nessa opção, você pode procurar por moldes disponíveis na Internet ou até mesmo comprar a cabeça das bonecas prontas.
  • Produção de tiaras: utilizando tecido, meia de seda - sim, isso mesmo, a meia de seda evita que o atrito do produto no bebê cause alergia ou agrida a pele - ou alguns aviamentos específicos, como por exemplo, o arco ou pedrarias diversas, você pode confeccionar tiaras para bebês, crianças, adolescentes ou adultos.

Como pôde ver, o número de possibilidades é grande. Acima, citei apenas alguns produtos, mas confesso que encontrei muitos outros durante a pesquisa que realizei e, em todos eles, o custo baixo, com possibilidade de bons lucros.

Para saber mais sobre produtos artesanais, utilize os endereços abaixo:

Revendendo produtos

Outro meio para se vender algo na Internet é buscando por fornecimento de produtos que tenham o preço mais atrativo do que o convencional. Embora pareça uma tarefa simples, é bem provável que se depare com alguns percalços nesse processo. Afinal de contas, se fosse tão simples, a concorrência seria bem maior, não é mesmo?

Além da dificuldade em encontrar bons fabricantes e fornecedores, em alguns casos, exige-se que o comprador realize um cadastro bastante burocrático e, dependendo do ramo de atividade, será exigida a compra de uma quantidade mínima de produtos ou descontos satisfatórios apenas para aquisições em grande escala, forçando-o a realizar um investimento considerável para manter estoque.

Como costumo dizer, revender produtos é um trabalho de formiguinha, pois leva tempo e muita dedicação para que se obtenha credibilidade e vantagens no seu negócio. Com muita paciência, certamente você atingirá um patamar em que terá boa relação comercial com seu fornecedor e o preço pago pelo produto reduzirá, aumentando seu lucro e ajudando a equiparar com os principais concorrentes, levando-o a outros patamares, como por exemplo, criação ações promocionais de peso, período de queima de estoque, enfim.

Como escolher o que vender

O primeiro passo para escolher o que vender na Internet é estudar e pesquisar.

Evite confundir o seu gosto pessoal sobre o produto, com o do público que o utilizará. Seja profissional e coloque-se no lugar de quem o comprará.

E por fim, estude e pesquise muito, dedique-se em conhecer o produto que determinou como alvo e coloque os prós e os contras em uma balança, esteja ciente das variáveis econômicas que influenciam a decisão de compra do seu consumidor, como por exemplo, se ele é ou não de consumo cíclico:

  • Consumo cíclico: também conhecido como consumo discricionário, os produtos que se encaixam nesse setor, dependem de um determinado ciclo da economia para que tenham uma procura expressiva. Na prática, quando a economia vai mal, são os primeiros a serem cortados do orçamento das pessoas. Como exemplo, estão as roupas, calçados, lazer, entre outros.
  • Consumo não-cíclico: diferente do consumo cíclico, os produtos desse setor não dependem tanto do ciclo da economia, tendo procura mais estável e homogênea, independentemente do atual cenário econômico do país. Nesse caso, podemos citar alimentos, bebidas, uso pessoal, saúde, entre outros.

Vendendo espaço publicitário

A princípio, vender espaço publicitário pode parecer estranho, mas acredite, além de extremamente satisfatório, é muito rentável.

Esse método, nada mais é do que monetizar um conteúdo de autoria própria. Ou seja, você poderá produzir algo, seja ele em texto, imagem ou vídeo e disponibilizá-lo para um público específico. Na medida em que construir um público fiel ou atingir um número considerável de visitantes, seu espaço será supervalorizado.

É claro que, assim como qualquer outra atividade que escolha, não é uma tarefa simples e também exigirá muita dedicação. Mas o campo de atuação é amplo. Você pode escrever sobre seu hobby preferido e publicá-lo em um blog ou site pessoal, gravar vídeos aulas ensinando alguma atividade e disponibilizá-lo em um canal do Youtube, tornando-se um influenciador, enfim.

Você gerar conteúdo sobre absolutamente tudo o que tiver em mente e for de seu conhecimento.

Tenha consciência de que, INDEPENDENTE DO ASSUNTO, assim mesmo com letras garrafais, seu conteúdo será útil para alguém.

Mas como ganhar dinheiro assim?

Hoje, existem sistemas na Internet que monetizam sites com muito acesso ou de um determinado nicho. Um bom exemplo é o Google Adsense, sistema criado pelo Google que permite disponibilizar anúncios de texto, imagem e vídeos e paga seus usuários por isso.

Além do Google Adsense, existem outros sites com ótimos programas de afiliação que, dependendo do seu nicho, podem oferecer retorno vantajoso para o seu conteúdo. Mais adiante, entrarei novamente nesse assunto e mostrarei algumas opções que já utilizei e outras que, embora não tenha utilizado, podem ser bons modelos para o seu negócio.

Outro meio de se ganhar dinheiro é buscando por patrocínios para suas publicações. Digamos que você queira falar sobre uma viagem que fez, poderia ser pago por uma determinada empresa de turismo, para citar apenas ela em suas postagens.

Prestando serviços

O terceiro e último meio de se ganhar dinheiro na Internet, prestando serviços, dos três é o que tem o maior potencial.

A área é bastante abrangente e pode explorar muito as suas habilidades, sem que você precise se quer colocar o pé para fora de casa ou ter grandes conhecimentos em Internet.

O objetivo é bem simples, você pode oferecer serviços como freelancer, inclusive existem bons sites com ofertas para os mais diversos profissionais, ou se tiver uma daquelas ideias brilhantes, por até mesmo criar um aplicativo e disponibilizá-lo em serviços de distribuição digital, como o Google Play para o android, por exemplo.

Freelancer

Freela, como é popularmente conhecido no Brasil, é o tipo de profissional que atua sozinho, com flexibilidade de horário e atuação. Basicamente, funciona com duas pontas, de um lado o prestador disponibiliza as suas habilidades e qualificações profissionais e, do outro lado, o interessado o convoca para o serviço desejado ou vice-versa.

Como citado anteriormente, é uma área bastante abrangente e está em constante crescimento. Porém, engana-se quem acredita ser fácil atuar dessa forma. Não é! Existem muitas dificuldades e obstáculos, principalmente no aspecto de valorização desse profissional. No entanto, como mostraremos adiante, com foco e persistência, você será capaz de investir na montagem de um portfólio ou projeto e ter sucesso na sua área de interesse.

No site 99freelas – www.99freelas.com.br, você encontrará as seguintes categorias:

  • Advogados & Leis
  • Design & Criação
  • Engenharia & Arquitetura
  • Escrita & Tradução
  • Fotografia & AudioVisual
  • Serviços Empresariais
  • Suporte Administrativo
  • Vendas & Marketing
  • Web & Desenvolvimento

Em cada uma dessas categorias, existem subcategorias. Certamente, as suas qualificações se encaixam em uma delas.

Criando um Aplicativo ou Serviço Digital

Imagine-se oferecendo um aplicativo que facilite para o usuário o acesso a algo que você domine ou, um serviço em que o seu usuário se cadastre, selecione as opções que você pré definiu e finalize, fazendo o pagamento.

Parece coisa de outro mundo para você? Acredite, não é!

Alguém, em algum lugar do mundo, já pensou na dificuldade de inclusão de populares no mundo de serviços digitais. Por meio de ferramentas certas e já disponíveis na Internet, você será capaz de criar um App para celular ou um site focado em distribuir serviços.

Sua única dificuldade será ter a ideia certa, arregaçar as mangas e começar as atividades.

Futuramente escreverei um artigo sobre como qualquer um, com ou sem conhecimento, pode utilizar ferramentas e plataformas disponíveis Internet para criar apps e sites facilmente.

Considerações finais

Com tudo o que foi passado até esse ponto, chegou a hora de criar um plano de negócios e arquitetar suas ações. O que estou propondo, nada mais é do que descrever as suas ações e os processos necessários para a escolha do seu ramo de atividade.

Comece de maneira simples, use um editor de texto em seu computador ou, se preferir, lápis e papel; escreva as suas ideias, propostas e repasse cada item que citei até aqui, aplicando-os efetivamente em seu novo negócio.

Segundo números do Sebrae, cerca de 35% das empresas fecham as portas já no primeiro ano de atividade. Esse número negativo é atribuído, principalmente, a falta de planejamento dos novos empreendedores. Você não quer que seu negócio vire estatística, certo? Então, mexa-se!

Já que mencionei mais uma vez o Sebrae, aqui vai mais uma dica importante: considere participar dos cursos de gestão que eles oferecem. Existem ótimas opções, todas elas oferecidas gratuitamente e que estão disponíveis online através do link abaixo, veja: 

http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/ead/

Lembre-se que o Sebrae é um importante aliado quando o assunto é o seu negócio!