Marketplace: a visibilidade que o seu negócio precisa

Publicado por Ricardo B.
Compartilhar o artigo Marketplace: a visibilidade que o seu negócio precisa no Facebook

O Marketplace nada mais é do que uma espécie de shopping center da Internet. É um conceito que chegou aqui no Brasil em meados de 2012. A partir daí, deu um bum e caiu definitivamente no gosto dos internautas.

Inclusive, serviu como modelo para que algumas gigantes da Internet, como o Submarino e até mesmo o Walmart, pudessem reinventar a forma como vendiam seus produtos. Atualmente, praticamente todos os grandes e-commerces migraram para esse conceito.

A grande vantagem de seguir por esse caminho é, sem sombra de dúvidas, a visibilidade que o seus produtos ganharão, pois o grande volume de visitações que os marketplaces recebem, é excepcional.

São milhares de visitantes diariamente, buscando por produtos e serviços nesses canais. Além disso, tenha no Marketplace, um excelente canal para entender definitivamente os verdadeiros anseios do seu público alvo e alçar futuramente voos maiores.

Como nem tudo são flores, é claro que o custo para expor os produtos em um marketplace é alto. Em alguns, a comissão chega até 25% do valor da venda, dependendo sempre do plano de exposição que você queira. Ou seja, quanto maior a comissão que você aceitar pagar, mais visibilidade terá o seu produto.

Outra aspecto que você precisará entender e trabalhar muito forte em seu negócio, é lidar com a concorrência nessas plataformas. O Marketplace pode ter dezenas ou centenas de produtos iguais ao seu e muitas vezes até mesmo com preço inferior.

É possível ganhar dinheiro com Marketplace?

A resposta é: sim! E muito...

Para que isso se torne possível, você precisará dar um passo de cada vez, ir vendendo seus produtos aos poucos e muito bem. Use os recursos que o Marketplace oferece, como chat, apps e automatizações, para atender seu comprador o mais rápido possível. Quando mais ágil você for, mais fácil “fisgará a sua presa”.

Após a venda, se esforce o máximo que puder para que não tenha problemas com atrasos, com os produtos ou serviços que oferecer. Faça tudo de maneira eficaz, impecável e se esforce para que o seu cliente tenha a melhor experiência possível. Isso lhe renderá algo valioso: qualificação!

Quanto mais qualificação positiva, mais atrativo será o seu negócio dentro do Marketplace. Chegará um ponto que as qualificações lhe permitirão aumentar o patamar da loja e agregar valor aos produtos, acima até mesmo do que é praticado pela concorrência. Pode ter certeza disso!

Taxas e comissões

É bem verdade que as taxas e comissões pagas aos Marketplaces são um exagero. Concordo! Mas de uma coisa você pode ter certeza. O volume das vendas poderá ser tão grande que compensará pagar por isso.

Mas tome cuidado na formulação do seu preço final. Se ignorar os percentuais que deverá pagar pelas vendas, elas poderão corroer o seu lucro, caso você não tenha tudo muito bem calculado.

Alguns Marketplaces, além da comissão cobram mensalidades. Então, estude muito bem e conheça o terreno em que pisará.

Os principais e mais importantes Marketplaces

Mercado Livre

Certamente, o mais tradicional e popular de toda a lista. Foi pioneiro do segmento no Brasil e até hoje, os números são de dar inveja a qualquer um. É ideal para a venda de qualquer tipo de produto, serviços e até mesmo desapego.

Não oferece nenhuma dificuldade ou burocracia para se cadastrar e incluir produtos. Entretanto, por se tratar do mais popular, a concorrência é muito grande. Portanto, para solucionar e oferecer boas condições aos compradores, trabalha com uma escala de meritocracia. Quanto melhor e mais bem pontuado, maiores são as chances de arrebentar a boca do balão e vender muito.

Site: https://www.mercadolivre.com.br

Amazon

É a principal e maior em todo o mundo. Para se ter uma ideia, em 2016, vendeu o equivalente a U$ 134 bilhões. É muito dinheiro! Porém, aqui no Brasil, por enquanto opera apenas vendendo livros.

A Amazon já deixou claro as intenções de abrir novas categorias em um futuro próximo. E o que isso significa? Uma excelente oportunidade para sair na frente por aqui. Esteja atento!

Site: https://services.amazon.com.br/venda-na-amazon/beneficios.html

B2W

Trata-se de um grupo poderosíssimo, composto por 3 grandes do segmento de e-commerce: Americanas.com, Submarino e Shoptime.

Nas lojas da B2W, você consegue vender todo o tipo de produto, distribuídos em dezenas de categorias e subcategorias.

Site: https://www.b2wmarketplace.com.br/

Via Varejo

Assim como a B2W, Via Varejo é um grupo composto por quatro conhecidas e grandes varejistas, são elas: CasasBahia.com, PontoFrio.com, Extra.com e Barateiro.com.

Todas os Marketplaces do grupo, oferecem a possibilidade de vender todo o tipo de produto, separado em categorias e subcategorias.

Site: http://viavarejonegocios.com.br/marketplace/

Walmart

A gigante Walmart é um dos exemplos clássicos de mudança no modelo de negócio para seguir a tendência do mercado.

Através da plataforma do Walmart, a exemplo de outras grandes varejistas que citei, você pode comercializar todo o tipo de produto de departamento.

Site: https://marketplace.walmart.com.br/

Netshoes

Embora tenha sido comprado pela gigante Magazine Luiza, acho pouco provável que a nova controladora realize uma junção das marcas, haja vista o potencial do Netshoes em seu segmento.

Certamente, é o maior Marketplace de nicho de toda a lista e mais popular comércio eletrônico de lifestyle esportivo da américa latina. Se o seu produto se enquadra nas categorias que eles oferecem, está aqui uma ótima oportunidade para alavancar suas vendas.

Site: https://www.netshoes.com.br/marketplace

Magazine Luiza

Tem sido o varejista que mais cresceu nos últimos anos. Indiscutivelmente, bem administrada e organizada, expor seus produtos no Magazine Luiza, é sinônimo de qualidade e visibilidade.

Site: https://marketplace-vendamais.magazineluiza.com.br/

Dafiti

Pelo fato de ser um Marketplace focado apenas a moda, na lista, está em um patamar médio. Mas não se engane, muitas vezes é melhor expor seu produto em um e-commerce focado apenas para um segmento, pois você não terá um público “para-quedas”, aqueles que caem no seu produto, sem saber exatamente o que estão procurando.

Se você vende produtos de moda, se esforce para atender as exigências cadastrais da Dafiti e mãos a obra.

Além de uma excelente visibilidade, eles oferecem recursos tecnológicos e personalização para ajudá-lo a entender o seu público.

Site: http://marketplace.dafiti.com.br/

Tricae

Pertence ao mesmo grupo da Dafiti, a Global Fashion Group - GFG, porém, voltado mais para o público infantil. Nela, é possível comercializar produtos para meninos, meninas e bebês. Oferece categorias que vão desde enxovais, roupas, calçados e acessórios.

Site: https://www.tricae.com.br/marketplace/

Kanui

A exemplo da Dafiti e Tricae, a Kanui também pertence ao grupo GFG. Está mais relacionado ao público de moda masculino, porém, oferece também produtos para mulheres.

Ao entrar no site, o visitante sente um apelo forte para esportes radicais, como skate, surf, alpinismo, entre outros.

Site: http://marketplace.kanui.com.br/

Carrefour

O Carrefour se consolidou no Brasil como um dos maiores supermercados. Tentou em meados de 2010, criar um comércio eletrônico, integrado com o estoque de suas lojas, mas sem muito sucesso.

Em 2016, resolveu reativar as suas operações e voltar seu modelo também para o Marketplace. Por lá, é possível vender todos os tipos de produtos de departamentos.

Site: https://www.carrefour.com.br/

Cissa Magazine

Oferece a possibilidade de comercializar eletrônicos, mas tem um apelo muito forte com smartphones e telefonia em geral. Não é considerada muito grande, porém o público é bem focado para esse segmento.

Site: https://www.cissamagazine.com.br/marketplace

Mobly

Embora seja pouco conhecida, é uma empresa que atua no Brasil desde 2011. Está bem consolidada no segmento de móveis, decoração e itens para casa. Além disso, tem um posicionamento muito forte nos resultados orgânicos de sites de busca, como o Google por exemplo. O que traz uma quantia relevante de usuários para os itens expostos.

Site: https://www.mobly.com.br/

Centauro

Concorrente direto da Netshoes, porém não tão grande quanto ela na Internet.

É bastante conhecida pela qualidade de atendimento nas lojas físicas, presentes nos principais shoppings centers do Brasil, vem tentando se consolidar também como Marketplace.

Site: https://www.centauro.com.br/marketplace/cadastro-seller

Elo7

De todos os Marketplaces da lista, o Elo7 sem dúvida alguma é o que mais enxergo potencial, principalmente para quem realiza trabalhos artesanais. A equipe por trás da plataforma é engajada e consegue proporcionar boas ferramentas para facilitar, tanto a vida do vendedor, quanto do comprador.

Segundo o próprio Elo7 se autodenomina, é a maior comunidade de empreendedores criativos do Brasil. Então, se o seu produto é exclusivo ou personalizado, trabalhar com o Elo7 não é uma opção, mas sim uma regra.

Site: https://www.elo7.com.br/quero-vender

MadeiraMadeira

Voltado principalmente para o segmento de casa e decoração, no MadeiraMadeira, você pode ir além e vender também móveis, itens de cama, mesa e banho, entre outros artigos para casa.

Site: https://www.madeiramadeira.com.br/

O que vem depois da escolha do Marketplace

Se você se identificou com algum Marketplace da lista, busque informações sobre os documentos necessários para iniciar as suas atividades.

Alguns são mais burocráticos que outros e colocam “empecilhos” no meio do cadastro, como por exemplo, a necessidade da empresa se enquadrar em um segmento específico ou a emissão de notas, o que pode ser um problema, pelo menos inicialmente, para aqueles que se formalizaram como MEI.

Outros, exigem apenas um cadastro simples, o que torna essa etapa mais tranquila.

E por fim, muita atenção à todos os detalhes que envolvem o trajeto do seu negócio dentro do Marketplace. Todos eles, sem exceção, disponibilizam termos e políticas bastante rígidas e podem a qualquer momento banir o vendedor, caso o mesmo infrinja as regras. Algumas dessas regras por exemplo, exigem que o vendedor não passe contatos diretos para o comprador, como e-mail, whatsapp, facebook, entre outros meios. A exigência é que todo o contato seja feito por intermédio dos canais cedidos pelo próprio Marketplace.

Considerações finais

Mais importante do que abrir um negócio, é criar estratégias eficientes para alavancar o consumo do seu produto ou serviço. Portanto, além de escolher muito bem o seu ramo de atividade, foque as suas energias para buscar boas alternativas para a construção adequada da sua marca.

O Marketplace pode ser um importante recursos, porém, ele não é o único que deve ser levado em consideração. Em breve, abordarei outros meios como a construção de um site, uso adequado de redes sociais, etc. Então, fique de olho no blog e acompanhe sempre as novidades!